Seção Poema — Cavalheiro Inspirador

sexta-feira, 22 de julho de 2011 § 2

Cavalheiro Inspirador

Se ao menos tu revelasses onde escondes
teus poemas!
Mas tua alma se fecha para os olhares curiosos
de uma camponesa.
E a alegria, que se podia gozar com o sublime da natureza,
torna-se inacessível no esconderijo dos teus encantos.

Ó sagaz cobrador de impostos! No teu ofício,
teu sorriso se faz sombrio!
Anelantes, todos aguardam o despojar
da tua farda.
Na memória estão vivos os gloriosos gritos
espontâneos da tua juventude.

Não permitas tu que as trevas te envolvam, e assim
motives a rebelião do teu povo.
A esperança poderia ceder ao enfado que se tornou
a tua amargura.
Ah! se ao menos tu revelasses onde escondes
teus poemas!

Os teus versos seriam nosso prazer
entre as calamidades.
Nosso espírito se ergueria, e o coração de todos se voltariam
ao trabalho!
Não nos negue teu esplendor! Ó fonte entenebrecida,
liberte-se da tua arrogância!

Wesley Rezende

What's this?

You are currently reading Seção Poema — Cavalheiro Inspirador at Eta literatura!.

meta

§ 2 Response to “Seção Poema — Cavalheiro Inspirador”

  • Gauche says:

    minha resposta a você está lá, meu caro. de todo modo, conceba-a como algo nada fechado, como se fosse um longo e eterno gerúndio.

  • obrigado pelo toque, Jhenifer! Vou conferir...
    abraço.